Search
Close this search box.

Amipa participa de reunião do Conselho Gestor Proalminas

Representantes da cadeia produtiva, têxtil e de entidades ligadas ao agronegócio marcaram presença em nova reunião do Conselho Gestor do Proalminas.

No dia 28 de agosto, a Associação Mineira dos Produtores de Algodão (Amipa) participou virtualmente da 20ª Reunião do Conselho Gestor do Programa Mineiro de Incentivo à Cultura do Algodão (Proalminas), que teve como objetivo a apresentação aos conselheiros das principais ações realizadas no âmbito do programa e do Fundo de Desenvolvimento da Cotonicultura no Estado de Minas Gerais (Fundo Algominas) no primeiro semestre deste ano, assim como esclarecer como acontecem alguns processos internos na gestão operacional diária do Programa.

A reunião contou com as presenças do coordenador do Proalminas, Feliciano Nogueira de Oliveira, do Subsecretário de Política e Economia Agropecuária, Caio César Coimbra, e de conselheiros que representavam a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Sede), o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG), a Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Invest Minas), a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), a Amipa e o Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem no Estado de Minas Gerais (SIFT-MG).

Pela Associação, estiveram presentes o presidente Daniel Bruxel e o diretor executivo Lício Pena, o qual apresentou a execução parcial (primeiro semestre) do Plano Orçamentário de Aplicação e Metas do Fundo Algominas, além de expor as principais frentes de atuação da entidade no incentivo à cultura do algodão em Minas Gerais.

Outro ponto de pauta foi o andamento das obras do Centro de Difusão de Tecnologias Algodoeiras de Catuti (Ceditac), cujo status de estruturação foi apresentado pelo diretor da Cotimes do Brasil (empresa contratada para a obra), Paulo Ribas, que falou sobre o projeto. O Ceditac vem sendo executado com recursos do Fundo Algominas, sob gestão da Associação, com parceria da Cooperativa dos Produtores Rurais de Catuti (Coopercat) e da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e tem previsão de ser inaugurado no início de 2024.

Também foram convidados para fazer breves apresentações na reunião o presidente emérito da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Valente Pimentel, que expôs a realidade das indústrias têxteis e as dificuldades enfrentadas no mercado; e o assessor jurídico do Proalminas, Dr. Geraldo de Oliveira Lopes, que explicou sobre o papel da assessoria no funcionamento interno do programa como suporte à coordenação, com destaque para as atualizações que vem sendo feitas em documentações e procedimentos com vistas a dar maior segurança e agilidade a todos os processos no Proalminas.
 
“Tradicionalmente eram feitas duas reuniões no decorrer do ciclo anual de atividades do Programa, sendo uma de aprovação do Plano Orçamentário de Aplicação e outra de aprovação da prestação de contas das ações executadas. Esta reunião intermediária, além da apresentação de perspectiva para o setor e de trazer resultados de ações do Programa, teve o propósito de uma maior aproximação do Conselho Gestor, como colegiado representativo de órgãos e entidades ligadas à cadeia produtiva do algodão e como instância de decisão do Programa, no acompanhamento das ações em andamento no Programa.”, declarou Feliciano Nogueira.
 
Sobre o Proalminas

O Fundo de Desenvolvimento da Cotonicultura do Estado de Minas Gerais, também denominado de Fundo Algominas, é uma entidade contábil, sem personalidade jurídica, criada em decorrência da Lei nº 14.559, de 30 de dezembro de 2002, e previsto pelo Decreto n.º 43.508/2003, em seu art. 3º, inciso II, que estabeleceram a política de desenvolvimento sustentado da cadeia produtiva do algodão de Minas Gerais.

O Fundo Algominas é um dos instrumentos do Proalminas e é administrado executivamente pela Amipa sob fiscalização da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa). Ele tem como objetivo o apoio à execução e administração de projetos e ações que visem:
• Estimular a retomada da cotonicultura e a melhoria da qualidade e produtividade agrícola do algodão, de maneira permanente e sustentada econômica e socialmente, tendo em vista o aumento da competitividade do setor nacional e internacional e em obediência aos padrões tecnológicos e de sustentação ambiental vigentes.

• Incentivar a instalação, o crescimento e o processo de modernização do parque industrial têxtil do estado.

• Intensificar a pesquisa de novas tecnologias e de variedades de sementes adaptadas às condições edafoclimáticas do estado.

• Estabelecer mecanismos de comercialização que garantam, especialmente ao produtor, melhor remuneração pelo seu trabalho e investimento.

• Promover ações de capacitação e treinamento profissional de técnicos, agricultores e trabalhadores, inclusive quanto aos aspectos gerenciais e de comercialização, preferencialmente voltados para o associativismo.

• Apoiar e facilitar a participação de toda a cadeia produtiva do algodão, principalmente, os produtores, as empresas e indústrias participantes da cadeia produtiva, instituições classistas e órgãos diversos ligados à atividade para que busquem em parceria soluções aos entraves operacionais e conjunturais que afetam a atividade da cotonicultura mineira e nacional.

• Gerar renda e emprego no campo, principalmente direcionados ao agricultor familiar, possibilitando-lhe condições dignas de vida e fixação no meio rural.

Saiba mais:

Ceditac

A retomada da produção do algodão na região norte de Minas Gerais tem tido resultados tão bons que despertou o interesse de países da África em busca de cooperação e intercâmbio técnico. Prova disso é a parceria consolidada entre instituições ligadas à cotonicultura brasileira e que deu origem ao “Projeto Regional para o Aperfeiçoamento de Técnicos Africanos em Cotonicultura” que viabiliza a construção do Centro de Difusão de Tecnologias Algodoeiras de Catuti, no município mineiro de Catuti.

O Centro beneficiará o setor algodoeiro da região, com foco na agricultura familiar, e permitirá o compartilhamento de experiências e de desenvolvimento da cotonicultura mineira com 16 países da África, sendo: Benim, Burquina Faso, Burundi, Cameroun, Côte d’Ivoire, Chade, Etiópia, Mali, Quênia, Tanzânia, Moçambique, Malawi, Togo, Senegal, Sudão e Zimbábue.

O espaço terá uma área construída de 1.204 m² que abrigará a usina beneficiadora de algodão, escritórios, salas de reuniões e de treinamentos, balança de pesagem, galpões para máquinas agrícolas e uma oficina mecânica.

Conheça o projeto estrutural.

Silvia Alves
Assessora de imprensa da Associação Mineira dos Produtores de Algodão (Amipa)
imprensa@amipaweb.com
(34) 9 9878-9905


Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Matriz: Rua Major Gote, 585 – 5º andar, salas 501/502 | Patos de Minas (MG) | CEP 38700-107
Filial 1: Central de Classificação de Fibra de Algodão (Minas Cotton) – Rua Francisco Cândido Xavier, 50 | Uberlândia (MG) | CEP 38405-352 | Tel.: +55 (34) 2589-8900
Filial 2: Fábrica de Produtos Biológicos (Biofábrica) – Rua Francisco Cândido Xavier, 50 – 1º andar | Uberlândia (MG) | CEP 38405-352 | Tel.: +55 (34) 2589-8900

© 2023 – Associação Mineira dos Produtores de Algodão (AMIPA) – Todos os direitos reservados.