Search
Close this search box.

Abrapa divulga balanço da certificação socioambiental ABR na safra 2022/2023

Reconhecido pela FAO e diversas entidades internacionais, o programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR) registrou recorde de produção na safra 2022/2023. Foram 2,55 milhões de toneladas de pluma certificada, 28% a mais que o alcançado em 2021/2022. Considerando o volume total produzido no período, que foi de 3,1 milhões de toneladas, a participação do ABR equivale a 82%. A iniciativa da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), executada em campo pelas suas associações estaduais, foi implementada com este nome em 2012, e, já no ano seguinte, começou a operar, no Brasil, em benchmark com a Better Cotton (BCI), referência mundial em licenciamento de algodão responsável. No ciclo 2022/2023, o Brasil respondeu por 37% de todo o algodão Better Cotton (BC), que somou 5,4 milhões de toneladas de pluma.

A proposta do ABR é promover a evolução progressiva das boas práticas sociais, ambientais e econômicas nas fazendas de algodão do Brasil. Trata-se de uma certificação voluntária, totalmente alinhada às legislações trabalhista e ambiental do país. O protocolo possui 183 itens de verificação, antes da certificação, e oito critérios: Contrato de trabalho, Proibição do trabalho infantil, Proibição do trabalho análogo a escravo, indigno ou degradante, Liberdade de associação sindical, Proibição de discriminação de pessoas, Segurança, saúde e meio ambiente do trabalho rural, Desempenho ambiental e Boas práticas agrícolas, Itens como proibição do trabalho infantil e análogo a escravo, são obrigatórios. O cumprimento e desempenho nestes itens é verificado e certificado por auditorias de terceira parte. Na safra 2022/2023, as empresas habilitadas para este fim foram a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e Genesis Certificações.

No mesmo período, a produção certificada pelo programa ABR se deu em 374 fazendas, em 82 municípios de 9 estados brasileiros, com a mobilização de sete das nove associações estaduais da Abrapa: Abapa (Bahia), Agopa (Goiás), Ampa (Mato Grosso), Ampasul (Mato Grosso do Sul, Amapa (Maranhão), Amipa (Minas Gerais) e Apipa (Piauí).

“O compromisso com a sustentabilidade assumido pelo cotonicultor brasileiro tem colocado o Brasil numa posição diferenciada em relação a outras origens produtoras de algodão no mundo. Nós acreditamos que a introdução de boas práticas é uma condição para o sucesso e a longevidade do negócio, como uma vantagem para o produtor, que resulta num produto alinhado aos anseios do consumidor em todo o mundo”, explica o presidente da Abrapa, Alexandre Schenkel. “Estar na liderança do ranking dos fornecedores de algodão BC e bater os nossos próprios recordes em volume de pluma certificada é algo que nos deixa muito satisfeitos”, afirma.

Empregos

As fazendas certificadas pelo programa ABR geraram 38 mil empregos formais na última safra, dos quais, 11% foram ocupados por mulheres e 500 por trabalhadores com deficiência física.

Eficiência

De acordo com a Abrapa, os indicadores do programa dão conta do incremento da eficiência nas fazendas que aderem à certificação socioambiental. Na safra 2022/2023, a média de produtividade nas unidades produtivas ABR foi 4,6% superior à média nacional. Durante o levantamento, realizado em julho de 2023, as fazendas ABR obtiveram produtividade de 1924 quilos de pluma por hectare, frente à média brasileira, então estimada em 1.840 quilos de pluma por hectare.

Benchmark

A operação referenciada entre o programa ABR e a BCI começou em 2013. Desde então, todo produtor certificado ABR pode ser licenciado BCI se assim desejar. Isso porque nos 183 itens de verificação do programa socioambiental brasileiro já estão contemplados os 51 itens necessários ao algodão BC. Dessa forma, o produtor ABR pode ser automaticamente licenciado pela iniciativa internacional, mas o contrário não se aplica.

Confira:

Fonte: Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa)

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Matriz: Rua Major Gote, 585 – 5º andar, salas 501/502 | Patos de Minas (MG) | CEP 38700-107
Filial 1: Central de Classificação de Fibra de Algodão (Minas Cotton) – Rua Francisco Cândido Xavier, 50 | Uberlândia (MG) | CEP 38405-352 | Tel.: +55 (34) 2589-8900
Filial 2: Fábrica de Produtos Biológicos (Biofábrica) – Rua Francisco Cândido Xavier, 50 – 1º andar | Uberlândia (MG) | CEP 38405-352 | Tel.: +55 (34) 2589-8900

© 2023 – Associação Mineira dos Produtores de Algodão (AMIPA) – Todos os direitos reservados.